terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

ridícula

O sentimento de ridículo é uma coisa única. Ser ridícula nunca me assustou ou me deteve. Aprendi desde cedo que ser ridícula era o que eu podia fazer de melhor por mim. Desde então, já fui (e sou) ridícula. Não me importo. Só esse sentimento fora de época e lugar e que me comove e reforma tem me incomodado. Esse sentimento ridículo de um amor sem limite ou fim.

2 comentários:

poetriz disse...

Me lembrei de um texto: “Todas as cartas de amor são ridículas”.
E são mesmo.
Mas ridículo mesmo é quem tem vergonha de amar...

pirilampia disse...

e não seriam cartas de amor se nao fossem ridiculas! [pessoa] ;)