domingo, 13 de janeiro de 2008

herança

Essa estrela que você avista,
Talvez nem mais exista.
Pode ter milhões de anos -
Luz que viaja a vida inteira,
Só seu brilho se perpetua...

2 comentários:

Vinícius Silva disse...

Sabe a sensação que eu tive quando li esse seu lindo texto? Na verdade foi uma lembrança. Sempre aprendemos quando crianças que a Terra, a nossa querida Terra, não tem luz própria, mas como?

Então o que são os poetas? A luz não precisa ser só vista, ela pode ser sentida, tenho os relatos dos deficientes visuais para compravar o que digo.

Tenho certeza (na verdade tenho fé) de que em algum lugar distante, tem alguém vendo, vendo não, sentindo nossa luz.

Quem sabe nossos queridos amigos que já se foram, não estejam com esses extraterrestres perceptores da luz da poesia, e principalmente da luz de nossa saudade.

Tomara.

Besos.

pirilampia disse...

vini! vc pegou o espirito da coisa! bj!