sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

bela adormecida

com o dedo no fuso

confuso

para fuso

pro fuso

con fusão

con fissão:

explosão de vulcão adormecido

feito bela que espeta seu dedo no fuso

e voltamos ao início da história

- sem noção!

2 comentários:

Emerson Menezes disse...

feito bala
combalida
feito bola de gás
solta à lida;
segue fluida
e sempre viva
mesmo que quiçá -
talvez ferida,
com seu dedo
na bruta roca
da vida que vira,
a bela adormecida...

Um comentário, talvez às avessas feito em 03 de fevereiro ao ler teu blog e deparar-me com este poema.
Estou por aqui!
Beijocas!

pirilampia disse...

Estou toda boba... e elogiada!
lindo, emerson, lindo!
bj!